Se beber, não dirija

Fui a festa do meu amigo. Muita bebida, a noite prometia. Saí travado! Indo pela rodovia, avistei uma blitz. Comecei a rezar… Quando parei, quase atropelei o guarda, ele pediu para eu descer do carro. Ouvi o que qualquer bêbado teme: – Teste do bafômetro! Estou frito! Pensei. Quando os santos resolveram me atender. Um caminhão bate na outra pista e os guardas me dizem: – Vá embora, vamos socorrer aquele acidente. Eu mais que depressa entrei no carro e fui. Feliz da vida. Cheguei em casa, guardei o carro e fui dormir. No outro dia, minha filha me acorda perguntando: – Pai, de quem é aquela viatura da polícia estacionada dentro da nossa garagem?