Não me peça para ser calmaria, se só o que carrego comigo é tempestade e mais ingratidão

Não me peça para ser calmaria, se só o que carrego comigo é tempestade e mais ingratidão

Basta um abraço. Nada mais que o silêncio de um abraço. Bastam uns braços. Os teus braços ao meu redor.

Tô trocando o meu abraço pelo seu sorriso Não me faça esperar.

A chuva O frio Um lençol Um abraço...

Saudade é saber que estás longe mas que volta para o abraço Saudade é saber que toda espera pode compensar...

A vontade que tenho e tê-la em meus braços, dar aquele abraço apertado, um beijo quente e fazer amor de um jeito todo diferente...

Basta vires tu. Tu e o abraço. Não precisas sequer de algo dizer, chega só tu e o abraço. Aquele abraço que me cala, sossega e aquieta.

Andar de bicicleta ganhar uma flor um belo sorriso um abraço apertado.

Aquela relutância em ceder, mas aquela vontade do grande abraço. Ela se abraçava a si mesma com vontade do doce nada.

Abraço tem que ser apertado, sorriso tem que ser engraçado e momentos têm que ficar guardados. Palavras têm que ser sinceras...

Não sei fingir. Abraço minhas vontades, mesmo que a minha cara fique roxa de tanto apanhar. Cumpro minhas promessas, mesmo que me doa.